Marca Artesanato No Lar - Aline Branco

O lucro com artesanato

A confusão que muita artesã faz entre mão de obra e lucro com artesanato ocorre, muitas vezes, por não entender o que é e para que serve o lucro. Vamos começar deixando bem claro o que não é lucro e de quem é o lucro.

Lucro não é o pagamento da artesã

A mão de obra da artesã é um dos custos do artesanato. Falamos sobre isso no artigo sobre erros comuns devido aos custos. Veja:

Basicamente o esquema é: “ Custo + lucro = Preço do produto “

E não:  “Custo + mão de obra da artesã = Preço do produto“. Isto está muito errado.

O lucro não é seu, é do seu ateliê.

Isso mesmo! O lucro é do seu ateliê, então você não pode pegar todo para você, não. O lucro não é o dinheiro que você vai retirar para si do seu ateliê. E como isso é um erro muito comum, gera confusão. Muita artesã lida com mão de obra e lucro como sendo uma parte do dinheiro da venda que ela pega para si. E por isso ela não vê diferença entre eles. Achar e agir como se fossem coisas iguais é prejudicial ao seu ateliê e ao seu crescimento como artesã.

Afinal, o que é lucro?

Lucro é o retorno que o seu ateliê tem com a venda do seu artesanato. E serve principalmente para fazer o seu ateliê crescer. Logo, se você retirar todo o lucro para si, como o seu ateliê vai crescer?

Numa empresa com vários funcionários, cada um faz uma parte então fica fácil entender, mas a grande maioria das artesãs são a única pessoa da empresa que é o seu ateliê. Consequentemente fica mais fácil confundir tudo. Perceba que você terá que desempenhar várias funções no seu ateliê. Você será a dona, a operária, a vendedora, a publicitária, a entregadora, a recepcionista… Ufa! E por aí vai.

No seu ateliê, você trabalha como funcionária, e por isso tem direito a retirar o dinheiro equivalente a mão de obra. Faça de conta que está contratando uma artesã e vai pagar o serviço dela. Esse dinheiro você pode retirar para si, é todo seu, é o seu “salário”.

No seu ateliê você também trabalha como empresária, já que é a dona, e por isso tem o direito de retirar uma pequena parte do lucro. Como em todo negócio o empresário não tem salário, ele retira parte do lucro. E tudo tem seus prós e seus contras. Se o negócio estiver indo bem, o empresário fica rico, mas se for mal, o empresário vai falir junto com a empresa. No dia do pagamento, o salário do funcionário tem que estar lá certinho, mas o empresário não tem a certeza do quanto entrará no seu bolso. Vai acontecer, principalmente no começo, de você retirar mais dinheiro pela sua mão de obra do que pelo seu lucro.

O que fazer com o lucro?

Então aqui é importante corrigir o erro comum de retirar todo ou a maior parte do lucro para si. A maior parte do lucro com artesanato é do ateliê e você vai guardar e investir.

Guardar?

Sim. E esse é outro erro muito comum, a artesã não guardar nada. Uma parte do lucro você deve guardar, abrir uma poupança e juntar. Assim você terá uma segurança para qualquer eventualidade. Por exemplo, sua máquina de costura quebra, ou seu computador pega um vírus.  Eventualidades acontecem. E se você estiver no meio de uma grande encomenda? Você precisa ter dinheiro para resolver rápido o problema que estiver te atrapalhando.

Investir

Não existe crescimento sem investimento. Logo, se você quer que seu ateliê cresça, você tem que investir nele. Basicamente são três tipos de investimento:

Investir em infraestrutura

Comprar novos materiais, uma máquina e ferramentas melhores, uma prateleira extra, mais caixas organizadoras, aumentar o espaço do ateliê, …, enfim, coisas para poder trabalhar mais e melhor.

Investir em inovação

Vamos chamar de protótipos os primeiros artesanatos que fazemos para criar um novo produto.  Sabemos que os protótipos geralmente não ficam bons. A gente faz para testar, para ver se vai dar certo e perceber onde podemos melhorar. Então, muitas vezes não conseguiremos vender. Algumas vezes até podem ficar tão ruins que a gente vai querer jogar fora com vergonha.

Além disso, fazemos esses protótipos para ver o quanto vamos gastar em material e quanto tempo vamos levar para produzir. Assim conseguiremos calcular o custo da mão de obra e o preço do artesanato.  Dependendo dos valores, pode não valer a pena produzir.

Também fazemos protótipos para mostrar e ver a reação das pessoas. É assim que perceberemos se vai ter saída, se as pessoas vão gostar e querer comprar.

Enfim, o que estou querendo deixar claro é que cada protótipo que fazemos é tempo e dinheiro que pode ser “perdido”.  Pode ser que dê para vender e recuperar algum dinheiro ou pode ser que não. É um risco que precisamos correr. Um dinheiro investido que precisa sair do ateliê e não do seu bolso.

Investir em qualificação

Essa é a parte do lucro da qual você mais se beneficia. Você pode e deve usar uma parte do lucro para fazer cursos, para se aperfeiçoar. Só tenha o cuidado de não fazer só cursos de técnicas de artesanato. Esse é outro erro muito comum entre as artesãs, só investir no que mais gosta, no lado funcionária e nada no lado empresária. Fazem um monte de aulas de técnicas de artesanato e nenhuma de vendas ou de gestão ou de informática.

Para sua empresa crescer, você tem que crescer antes. Invista em você!

Agora que ficou claro o que é e para que serve o lucro, espero que você consiga corrigir, caso cometa algum erro, e trabalhar melhor com seu lucro. Ou seja, espero que você e seu ateliê consigam crescer ainda mais.

Se você não leu o artigo sobre custos mencionado aqui, confira: Erros comuns devido aos custos

E se você gostou de saber mais sobre o lucro com artesanato não esqueça de compartilhar esse texto com suas amigas artesãs!

Autor: Aline Branco
Lucro com artesanato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se

Você será avisada sobre todas as novidades.

/ ( mm / dd )

E-mail:
aline@artesanatonolar.pt

Vila Nova de Gaia
Porto - Portugal

Selecione sua moeda
EUR Euro